sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Poema para Mathilda

Seu olhar de olhos fechados, seu sono
Serena a pequena me encanta, meu sonho
De corpo distante de quem se sente avô
Gerando a vontade de tê-la nos braços
E experimentar de forma densa a pureza

A sua fala na boca calada é doce poema
Encantando os pais e aos verdadeiros avós
Tão distante, tão próxima, que me faz lágrima
Me faz sorrir e me alegrar com os Silvas
E então a alcanço, tocando-a com minhas orações

Nenhum comentário:

Postar um comentário