sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Desabafo para Karina


Alguém me procurou para dizer que você não me quer mais,
Que te viu falando e rindo de mim

Que escreves-te no verso da página do verso que lhe dei, 
o teu telefone e entregas-te a outro alguém


E embora saibas declamar o verso de cor e salteado,
desejo que chores por cada palavra, cada rima

Pois decidiu de forma irrevogável que não quer mais saber de mim, pois me achas vazio e sem sabor

Então olhei-a sem muito sentir, nem dor ou alívio, 
não senti tristeza ou alegria. Só imobilizei

E fiquei pensando no que seria aquilo, uma mulher
que vem me dizer que rasgas-te o verso que te dei

Colocando nele  o número do teu telefone,
propondo um encontro e assinando assim: "Marina".


quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Lua Clara Matinal


Lua clara, transparente da estrelada manhã
Que o sol preguiçoso não quer ver ali
Ela ilumina a parte que lhe convém
Fazendo-se maior do que de fato é
Pois realça a grande árvore distante
Para encerrar a noite linda que viveu
Nos oferecendo seus manjares visuais
Nos envolvendo em suas seduções
Todas elas ligadas às histórias de amor
Repletas de sonhos, desejo e paixão

Lua clara transparece ser senhora de si
Senhora de si mesma e seus reflexos
Se gabando de dar aos homens sonhos
E a oportunidade de saber parte do sol
Somente a parte que ela quer revelar
Absorvendo todo seu calor atômico
Nos irradia um outro sublime calor
Por vezes minguante, por vezes, crescente
Deixa de forma clara, o sabermos sutilmente
A quem o sol persegue e sempre pertence

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

A memória


Hoje ela me apareceu tão alegre
Trazendo com ela um sorriso meu
Me envolveu em palavras e imagens
A tal ponto, de minh'alma sentir cheiros
Não me trouxe convites ou propostas
Me encantou com um velho som desigual
Desequilibrou-me com seus rodopios
Assobiando e cantarolando suas canções 
Velhas e novas canções dissonantes
Me fez sorrir, me fez chorar de amor
Me dizendo baixinho ao pé do ouvir
Não se esqueça de dar graças a Deus
Não deixe os beijos e abraços para depois
Ame hoje, declare hoje a sua alegria
Seja você, seja livre, seja feliz

terça-feira, 6 de janeiro de 2015

A velha estrada


Ficou ali, aparentemente abandonada
A estrada envelhecida e suas curvas
Ficou ali, sem a presença cotidiana
Trocada pelo asfalto e seus 150 Km/h

Tornou então à companhia dos pardais
Às pequenas lebres e outros esquecidos.
Os tatus, as maritacas, árvores regionais
Foram voltando sem medo, re-vivendo.

O aparente silêncio, a ausência sonora
Criada pelo som dos motores de outrora
Foram sendo substituídos por cantos
Pelo movimentos de galhos expostos

Ali, algum tempo depois, habitou a paz
Voltou o bom cheiro de terra molhada
Voltaram as flores, os frutos e pássaros
Então, na aparente solidão, ouvia-se Deus

domingo, 4 de janeiro de 2015

Ser ninho


Ser ninho é algo pouco natural
É ser composto daquilo que é.
Do pensar de quem vai se utilizar
É que se faz um ninho verdadeiro.
Lugares altos, baixos, seguros ou não,
Ser ninho em tocos, em tascos
Ser ninho é ser, para ser para alguém

Em seus momentos de vazios
O ninho está lá esperando,
Esperando a hora ou quem;
Não sabe exatamente quando.
É ninho, foi feito para ser
Para ser seguro, para acolher
Para experimentar esperas

O ninho vê histórias antes delas
Conhece diversos tipos de casais
Histórias de devoção e abandono
De silencioso desenvolvimento
De idas e vindas de chocadores
Ouve gritarias e vê bocas abertas
Idas e vindas de alimentadores

O ninho sabe vidas e mortes em si
Sabe de sua utilidade temporal
E a inutilidade de ser sempre útil
O ninho sabe ser e deixar de ser
Ser ninho é escolha do criador
Um duro, árduo e sublime estar
Ser ninho é servir aos homens
Ser ninho é serviço a Deus

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

Um 2015 iluminado


Não é só uma questão de resolver seus problemas
em relação ao peso ou boa alimentação,
é uma questão vivencial.

Rejeite sobras de momentos felizes e prazer,
busque uma vida de realizações
ao invés de uma vida de comemorações.

Ame-se inteligentemente, não se engane,
o que te faz mal, nunca, em dia algum é bom.

A mais bela de todas as iluminações
estão nas coisas naturais.