sábado, 13 de dezembro de 2014

A despedida


Não tente me dizer coisas que possam explicar
Consigo compreender que a vida é mesmo assim
Nem pense que existe em mim mágoa, algum rancor
Ficaram algumas lembranças, algumas bem legais
Mas o fato é que não existiu motivos para querer
E não fui eu, nem foi você. O amor não aconteceu
E quando é assim, não adianta insistir ou entender
Não há o que explicar, não há do que se queixar
Então, escolhendo uma forma amigável de adeus
Fiquei calado em mim mesmo, sem ferir ninguém
Só saí, peguei o avião que não foi e preferi voltar
Voltar para mim, para coisas que escolhi
Coisas que escolhi para ser feliz

Nenhum comentário:

Postar um comentário