sábado, 11 de outubro de 2014

O VENTO



Corra vento, me faça um favor
Diga para quem ficou no passado
Que aquilo era dor sem cor de amor
Diga que sozinho eu vivo feliz
Que não precisa me esperar
Vim e já me instalei neste presente
Não comprei passagem pra voltar

Mas não perca seu tempo procurando
Se não a encontrar na primeira tentativa
Volte logo e me traga um silêncio
Uma porção de ausência saudável
Traga também meu livro do Rubem
Porque lá ele não tem nenhum valor
Vou ler novamente que dor é pérola

Mas saiba que não é preciso ir
Não precisa me fazer este favor
Porque na verdade, faço versos
E eles voam em muitas direções
Levando e lavando palavras vãs
Fique por aqui mesmo e viva
Me espalhe as folhas que juntei

Nenhum comentário:

Postar um comentário