terça-feira, 9 de setembro de 2014

A busca


Meu compasso perdeu o centro, rasgando tudo
Rasgando o círculo que me protegia da verdade
Pois sem que eu sentisse, o amor me envolveu
E na forma em que cresci, sempre sendo plebeu
Fui levado a ser sempre sincero e meio levado
Frequentador de esquinas e longos papos cordiais

Até ela aparecer, totalmente rainha, realmente linda
Bagunçando o coreto todo arrumado do meu coração
Foi tão avassalador o vendaval, que levou o toldo
Que não me foi possível evitar os passos de busca
Busca, procura dos que querem a verdade de fato
E eram tantas folhas ao chão que parecia outono

E quando pensava na hora de te ver, primavera
Mas ao tocar-te, todos verão que és meu verão
Verão da alegria, sol de muito poucas roupas 
E  serão muitas, as noites transpirantes em você
Inspiração de minh'alma, transpiração do corpo
Inspiração do meu corpo transpirada na alma

Nenhum comentário:

Postar um comentário