quinta-feira, 26 de junho de 2014

LUA e SOL


A lua, com aquela luz que nem é sua, me iluminou
Iluminou o meu, o teu e todos os outros olhares ali
Aquela luz do sol, que quente me impede o olhar
Na lua, a tal da luz do sol convida-nos ao amar
Alguns fazem versos, outros beijam e abraçam
Eu abraço e faço versos, beijo e faço versos
Abraso e faço versos, descanso e sonho versos
E a lua com aquela luz do sol, ausente do meu olhar
Parada e móvel, nem quer saber de mim, simplesmente sai

Acordo então com o sol ardendo, ainda ardente em mim
Era então a lua a me encantar com seu reflexo do sol
Do sol que me queima, me incomoda, ao qual digo não
E não me iludo, pois não é ilusão, só gosto de parte do sol
E não quero que ele me falte com sua força de aquecer
Seu mágico casamento com as plantas fotossintéticas
Mas dele, dele todo, com todo aquele seu calor tremendo
Dele, da exata forma como ele é, dele eu não gosto não
Por isto eu entendo ser possível gostar e não gostar de alguém.

Nenhum comentário:

Postar um comentário