quarta-feira, 4 de setembro de 2013

NOSTALGIA ( Poema para Dinael )


Vivo lembrando da manga rosa
Da barreira que subíamos a brincar
Tenho na minha memória e sem imagem
A figura terna que nos fazia o sanduíche
Para depois da pelada, que se chamava futebol

Lembro da goiabeira e da goiaba branca
Das cigarras, que no pé de abacate, abacateiro
Cantavam nossos dezembros de sol e alegria
Era uma vida cheia de tios e tias, primos, primas e irmãos

Hoje me lembro com saudade e sem vontade de voltar
Dos sábados ensolarados, a brisa, o vento, o mar
Brinquei muito, sofri muito, amei de muitas formas
Lá, no passado, ficaram boas e más lembranças
Flores, frutos, pétalas, espinhos e sementes no chão

Existe em mim, algumas vezes, a dificuldade de visualisar
Lembrar semblantes e olhares, detalhes que se perderam
Que vão se esvaindo com os anos e não posso conter
Trago então estas memórias que tenho na mente e coração
E espiro a fumaça clara da saudade, cheia de gratidão

Vivi, vivo e viverei alegrias e tristezas puras e ternas
Marcadas por este tempo que já se foi.

Nenhum comentário:

Postar um comentário