sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Caminhos - Des-Encontros



Não há o que esconder quando o olhar resiste a uma declaração de amor
Não é possível mentir, se daquele beijo não restou nem uma emoção
Se dos abraços não ficou calor e se das palavras que encantaram eu me esqueci
Nem sei mais se ficou saudade, se ficou lembrança, se ficou vontade em mim de você
Pois quando me olhava no espelho, uma luz me iluminava pensando em te ver
E agora, aqui parado, olhando minha imagem, me vejo e me sinto tão só
Neste caso não são as palavras que falam, são os silêncios que gritam
São as ausências que se encontram presentes, não há ilusão ou sonho são
Tudo ficou para trás no plano relativo de nós dois, cada um para um lado
Nos afastamos dois passos, a cada passo que damos em nossa própria direção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário