sábado, 9 de fevereiro de 2013

PRESO NA PRESSA



No paço
Existe um espaço
Onde passo
Todo dia sem parar
Talvez tenha flores
Quem sabe não
Me nego a olhar
Não posso parar

Do mesmo modo
Passo ligeiro
Com passos largos
Pelo Largo
Que antecede o paço
Passo a passo
Olhando pro chão
Pra não tropeçar

Lá do alto da rua
De onde às vezes
Olho para o Paço
Venho caminhando
A passos ligeiros e de largo
Com pressa de chegar
Do outro lado do Paço
No qual me nego a parar

Nenhum comentário:

Postar um comentário