domingo, 24 de fevereiro de 2013

A VERDADE


Se eu soubesse aquilo que me perguntas
Com certeza te diria aquilo que penso
Porque certamente seria só impressão
Aquilo que alguns chamam de verdade
E os mais sábios sabem ser opinião

Mas é mais do que falta de certeza
E tenho prestado a você toda atenção
O difícil é porque falas de muitos dias
Queres promessas e juras de amor
E tenho hoje a certeza que sou teu

É por isso que lhe digo três palavras
"Hoje sou teu" e se isto não te basta
Preciso lembra-la do valor que tem
Porque é uma bela e pura verdade
Vou te falar, é uma confissão de amor

TORNAR-SE PESSOA


Estava ali parado vendo as folhas passarem
A desordem não era só de tempo ou fases
Misturavam-se as pessoas que estiveram lá 
As que gostaria que estivem também na foto
Algumas que dispensaria de todas as cenas
A particular lente dos dias me mostrou tons e cores
Fotos desbotadas na história, mas vívidas na memória
E hora eu lembrava alguém que está longe de mim
E em outras me sentia longe de quem esta perto
E o caleidoscópio estranhamente girava
Trocando, incluindo e extra-ordinariamente
Sobrepondo e substituindo peças claras e foscas
Tudo me passando na mente e eu chocando e chocado
Calado, parado, pensando presente, ao lado o passado
O presente, nem me era o presente ou o passado
O presente eu mesmo me dava estando ali
Repensando, repassando, presenças e ausências
Telas que foram escritas, melodias pintadas
Fusos horários, confusas memórias sem marcas
Me marcando a memória, em memória do que vivi
E viajando no tempo, pensando e passeando
Passando o presente passado, pretérito imperfeito
Quem sabe mais do que imperfeito, sei que fui
Sinto claramente que sou e serei feliz.


segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

O DESENHO DOS DIAS


Deixar que os anos nos desenhem
Com seus dias, meses, anos e ventos
Com amores e desamores que nos deu
Fazendo retoques finais na face
Com seus diversos tons de branco
Com iniciais suaves riscas na pele
Com suas aparentes vitórias e derrotas
Que por fim descobrimos ser a vida
Trazendo-nos cores vibrantes e fortes
Cobertas pelo suave pincel do tempo
Trazendo mansamente seus tons pasteis

E então, descobrimos prazeres maiores
Palavras mais dosadas, claras e precisas
Que declaram não só aquilo que somos
Mas também o que deixamos de ser
Em mansas cores de frustração ou triunfo
Que fundidas se fizeram sabedoria
E então, estes anos fazem de simples pingos
Lágrimas sinceras de profunda dor ou sorriso
Todas elas com valor descomunal
Pois nos ensinaram as crianças e jovens
Os adultos e velhos como nós

domingo, 17 de fevereiro de 2013

LEMBRE-SE


Lembrar é uma questão de sabedoria, 
Porque é preciso saber o que lembrar
Pois da forma correta não vai sofrer sem razão. 
Não faz muito bem a nossa alma 
Lembrar coisas perdidas que nos trazem rancor, 
Já nos faz tão bem lembrar coisas que mesmo perdidas 
Enternecem nosso momento e nos ajudam a caminhar.
Não é muito bom lembrar que a conta vai vencer 
Se não vou ter dinheiro para pagar
Mas é bom lembrar antes da compra se eu tenho saldo 
Assim, posso comprar e não sofrer
Mas já que comprou e não tem a grana para pagar, 
Bom é lembrar de pegar o telefone e avisar que vai atrasar.
Não é bom lembrar-se dos dias passados 
Pensando que eles eram melhores do que o hoje, 
Pois os dias passados construíram o hoje que vivemos, 
Mas é bom lembrar-se de fazer hoje o bem, 
Porque irá refletir na vida dos que virão 
E eu ainda posso estar por lá.

CARIOCA NATIVO



Coisa nativa ativa em mim
Faz-me sentir saudade de mar
Coisa ativa cativa em mim
Faz-me sentir vontade
Sem querer ou ter medo de voltar
Tenho vontades
E fico a vontade em sabê-las
Tenho medos, sem o medo
De dizer que os tenho
Tenho coisas ativas
Nativas, cativas
Tenho saudades em mim 

DESCOBRIR


                                                      
                                                      Des-cobrir
(Retirar o que está por cima de)

Perdido em dilemas acerca do amor
Encontrei-me mais ocupado
Com dilemas e problemas
Do que com amar

Escolhi com serenidade
Dizer quando amo
Quando sinto saudade
Dizer com cuidado das vontades
E dos desejos do amor

Até mesmo me disponho a amar
Por vezes
O amor menos provável

Nas relações que vivo
Muito pouco mudou
Mas em mim?
Parece-me que tudo mudou
Estou perdendo não só o medo de amar
Mas o medo do amor.

A FILHA



Com uma vida em si
Outra em uma das mãos
Caminhava serena
Um pouco cansada
Trazia a marca crescente
De dois amores
Que se entregarão
A este novo amor

Estava sorrindo
Com semblante cansado
Falando de dias, meses
Esperas e esperanças
Decidida, sem ansiedade
Vai ver a nova vida
Surgir em cena, esticando-se
Como em um balé sublime

Que Deus te abençoe
Abençoe os amores que já tem
Abençoe a amada que virá
Que a luz bendita te ilumine
Bem mais do que agora
Mais do que na hora de dar a luz
Abençoe-te através dos anos
Dos anos em que todos crescerão

domingo, 10 de fevereiro de 2013

SABER ESPERAR




Sede, pois, irmãos, pacientes, até a vinda do Senhor.
Eis que o lavrador aguarda com paciência o precioso fruto da terra, 
até receber as primeiras e as últimas chuvas.
Tiago 5:7

Não são poucas as pessoas que confundem a atitude de espera com passividade e/ou omissão. Pessoas são chamadas de pacientes, quando em meio à dor conseguem aguardar as melhoras de forma equilibrada e seguindo as recomendações que facilitam sua recuperação e melhora; quando do contrário, deveriam ser definidas simplesmente como indolentes ou coisa semelhante.

            Uma das grandes marcas dos cristãos primitivos era a paciência, suas experiências com o mestre Jesus, incluindo sua ressurreição, davam-lhes os motivos mais que suficientes para que aguardassem o cumprimento de todas as promessas e isso sem jamais desanimar.

            Vivemos em um mundo do imediato, um mundo aonde queremos obter resultados sem nenhum esforço e/ou mérito pessoal. Até mesmo no âmbito do condicionamento e preparo físico, as pessoas têm procurado aparelhos que substituam sua participação em exercícios ativos, desprezando assim, o que é mais importante na ótica do aperfeiçoamento do corpo, qual seja, a disciplina.

Dietas miraculosas, cápsulas que absorvem ou ejetam as gorduras que não deveríamos comer, “pós” nutricionais que nos iludem quanto à necessidade que temos de ingerir uma dieta balanceada, que não só nos alimente bem, bem como nos ofereça a realização do prazer de comer, fazem parte deste mundo do eu posso e devo fazer por você.

É o mundo do fácil, quanto mais fácil melhor. Os que têm mais de 35 anos viveram o mundo do dinheiro que se multiplicava à noite, o tal “over night”;quando as pessoas descobriram que a multiplicação era de fato diminuição, muitos já haviam naufragado na torrente da ilusão que mata, na ilusão do fácil, do me dê na mão.

Ser cristão é ser paciente, longânime, mantendo-se na bondade em meio às adversidades, sabendo que o Senhor de todas as coisas, o Deus da ressurreição, nos conduz e espera que participemos de forma ativa do processo de implantação do seu reino
                                                                                                                                        
Um grande abraço

Márcio Monteiro

LÁ, O SOL



Acordo e logo cedo vejo o céu nublado.
E sei porque em outros dias foi assim,
Haverá uma hora em que o sol aparecerá
E não que ele não esteja brilhando
Porque sobre tudo isso de nuvens
Ele reina com seu poder e calor

Então me lembro de meus dias de dor
Das muitas vezes que sofrimentos muitos
Aparentavam uma permanência continua
E então o sorriso de uma criança alegre
A lambida de um cachorro de rua faminto
Davam-me a certeza de que existem motivos

Motivos para crer que mais tarde ou amanhã
Quem sabe em plena noite, sem que eu veja
As nuvens passarão em suas múltiplas formas
Parte delas derramadas sobre mim ou nos mares
Então ao invés de sofrer, me deixo inundar
Me torno um gigante, para a chuva eu sou o mar

sábado, 9 de fevereiro de 2013

PRESO NA PRESSA



No paço
Existe um espaço
Onde passo
Todo dia sem parar
Talvez tenha flores
Quem sabe não
Me nego a olhar
Não posso parar

Do mesmo modo
Passo ligeiro
Com passos largos
Pelo Largo
Que antecede o paço
Passo a passo
Olhando pro chão
Pra não tropeçar

Lá do alto da rua
De onde às vezes
Olho para o Paço
Venho caminhando
A passos ligeiros e de largo
Com pressa de chegar
Do outro lado do Paço
No qual me nego a parar

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

A VIDA PERFEITA



A vida transcorre de forma leve
Uma dose de sono e repouso 
Depois do papo com os amigos

O importante não é a que horas
Mas quantas horas de descanso
Cedo para uns, tarde para outros

E a fome que não conheço?
Já me é suficientemente graça
E ainda escolho o que degusto

Logo é muita ventura e sorte
Me esforço para escolher
Aquilo que me fará bem

Trabalho com prazer
Tenho horários flexíveis
Gosto muito do que faço

A vida é simples e rara
A cada dia que vai passando
Fica mais com a minha cara

Para completar posso ajudar
Posso colaborar com outros
Posso dizer tudo que penso

Nem se tem o que dizer
Tampouco penso no que falar
Já que creio, dou graças a Deus



quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

BRINCAR DE ESCREVER - 1




Manias, maníacos, manicômios
Doces, doceiras, docerias
Poemas e versos, conversarias?
Divas diversas, estragaria
Cartas, carteiras, todas vazias
Poesias, palavras
Minhas manias

PRECE MATINAL




Pela manhã, oh! Deus
Sinto a necessidade que tenho de ti
Peço discernimento para compreender
E pelo caminho do fazer o bem
Preciso de ajuda, quero coragem
Para dizer e ouvir palavras de sabedoria
E conseguir vivê-las em meu caminhar
Desejo ser menos pobre de ti
Menos rico de mim
Ao anoitecer
Ter errado menos
Ser um pouco melhor
Não ter tido dolo algum

ENVELHECER




Viver construindo o amanhã com cada hoje
Ser sem medo e tornar-se feliz
Sofrer compreendendo suas razões
Tirando de tudo um crescimento sadio
Ser para os outros em uma medida calibrada
Ser para mim sem narcisismo ou egoísmo
Rir quando os outros não estiverem tristes
Para não incorrer na insensatez
Manter o siso apesar de extraí-lo
Mantendo-me eu mesmo
Ainda que o mundo mude a meu redor
Não confundir a alegria ou vigor
Com o desejo de ser jovem
Ser grato por tudo
Abençoar a todos

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

BRINCAR DE ESCREVER





P P
P      b     d
   p      d
P

Peguei-me
Parado
Pensando
Porque
Preciso
Parafrasear
Pensamentos
Paixões
Particularmente
Planejar
Palavras
Pois bem:
Posto-me
Poeta

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

PERCEPÇÕES


Em tudo existem motivos
Para rir ou chorar
Há quem ria da queda de outros
Entristecem-se com sua ascensão
Aparecem os que choram
E os que riem na vitória
É preciso perceber em tudo
Em todos e de toda forma
O espírito que os acompanha

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

CLAREAR




Olhei para mim e vi razões para sorrir
Algumas por satisfação
Outras por lamento
Satisfação pelo que cresci
Pelos sinais do amadurecimento
E entristecimento
Pela insistência em não mudar
Quando sei que estou errado

Mas vamos andando sem parar
Aprendendo a diferenciar a sinceridade de grosseria
Opiniões, da presunção de ser dono da verdade
Olhando para o futuro, que é para não tropeçar
Lembrando do passado, para não repetir enganos
Lavando o rosto bem de manhã
Colocando óculos de lentes precisas
Pois é preciso clarear

FRUTOS



Sonhar sonhos novos, realizar vontades
Plantar com carinho o que se quer
Ter sempre em mente uma forma de amar
Amar hoje melhor do que ontem
Deixar fluir aquilo que faz bem,
Sem que se permita a inundação
Pois a inundação varre
Varre o nutriente da terra de nossa alma
Ser somente sem sermos só mente,
Porque a mente, mente mais que o coração
Compreender sentimentos e vivê-los
Deixar nascer o amor existente em nós
Descansar quando o presente é bom e real
Fazer valer a pena tudo o que custou nosso esforço
Viver plenamente, ser bom e ser feliz

domingo, 3 de fevereiro de 2013

SÍNTESES



Íntegro
Entrego-me
Às fusões, derretimentos
Misturas, alianças
Confusões
As fissões, rupturas
Fragmentos, confissões
Desintegro-me
Explodo
Gero energia
Ponho-me
Componho-me
Em um novo eu

sábado, 2 de fevereiro de 2013

POEMA PARA HELENA


Serão os choramingos contrastados com sorrisos
Serão noites insones de ocupações e fé
A terna sensação da pureza e da esperança
Em cada ponta de sorriso ou dente
Perambulando salas e quartos
Empurrando cadeiras, subindo em pernas
Babando, beijando e o abraço em "Upa"
Serão mordidas, cabelos puxados
Carinhos e solenes declarações de amor
Virão os brinquedos, os jogos e passeios
A creche e os primeiros afastamentos
A escola, os amigos e o namorado
E nossas pernas cansadas
Nossos braços enfraquecidos
Nossa visão de óculos 
E a audição de aparelhos
Não poderão enfraquecer a ternura
Apagar o sentimento de carinho
Que sentimos por você