sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

O COSMO


Na manhã fria em que a chuva caiu
Depois de fortes rajadas de vento
Maria saiu para passear sozinha
Com semblante calmo e sereno
Percorreu a estrada remexida
Observando galhos, folhas e frutos
O chão por eles forrado agradecia
Imaginava semeadura, adubação
E ela respeitando a natural escolha
Escolhia também, ela mesma
O fruto que queria, a flor que lhe agradava
Saciada da fome, adornada a casa
Maria sorriu imaginando o normal
Que semelhantes forças metamórficas
Atendiam à terra, árvores e rios
Tanto quanto atendiam a ela mesma
E em um suspiro sorridente
Entendeu que toda aquela beleza
Que toda aquele passeio feito
Tinha nela mesma parcela de cor
Ela também vendaval, ela flor
Ora nos galhos, ora no chão
Hoje se alimentando, admirando
Amanhã sublime alimentação

Nenhum comentário:

Postar um comentário