domingo, 13 de janeiro de 2013

O apego





Com a lanterna na mão na estrada clara
Clara procurava enxergar, pois não via
Não era uma questão de luz, luminosidade
Era a cegueira da revelação plena, da clara luz
Apareceu tudo e parecia de uma só vez
Havia se esquecido durante a trajetória
Nos períodos de luminosidade amena
De separar, analisar e escolher
Não fez as escolhas simples, 
Não guardou, nem jogou fora
Ficara com tudo o que não presta
Com aquilo que lhe era útil também 
E agora na luz plena e reveladora
Tinha muito mais coisas a ver, escolher
Dezenas de bobagens que lhe confundiam
E progressivamente as pilhas enfraqueceram 
E ela na luz plena e reveladora, enxergava
Mas míope e astigmática nada via
Coisa alguma distinguia, não pode mais escolher
E então, perplexa, em meio a tudo, sentou-se
E mesmo sem poder nada usar
Ficou com tudo e nada lhe servia

Nenhum comentário:

Postar um comentário