sábado, 12 de janeiro de 2013

A perfeição

Aquele momento re-encontro platônico
Daquilo que no pré-nascer se vê
Vindo de onde não sei, déjà vu
Sentada, pensando de onde eu vinha
E eu enebriado pela beleza pura, sua
Que me era minha, minha quimera

E eu perdido em mundos paralelos
Beleza branca pura, junção perfeita
Cores girando, todas puras
Imaginárias lendas, legendas
E ela ali parada, imóvel, silente
Estranhamente tocável e real

Nenhum comentário:

Postar um comentário