domingo, 30 de setembro de 2012

FUNDAMENTO, FUNDAMENTAL, FUNDAMENTALISMO


Acho sempre estranho o uso deste termo para adjetivar radicais movidos por latente arrogância e ignorância. No campo das religiões são chamados de fundamentalistas, aqueles que em qualquer vertente defendem um ataque a outras religiões, coisa extremamente absurda, já que estudiosos dos livros sagrados dão conta de uma pregação de amor e tolerância entre os povos como base para a construção de um mundo melhor.

Quando adentramos o campo do esforço de conhecimento científico, aí a coisa é ainda pior, já que sabemos que o que norteia a ciência é o des-cobrir, ou seja, tirar a coberta que se encontra sobre as coisas que ignoramos. "Uma coisa sei, que nada sei" já ouviram tal frase, não é mesmo? Assim vemos um simples "ovo" ir de herói a vilão e de novo voltar a herói da história, tudo isto regado a afirmações cabais de descobrimento.

Balela, toda afirmação extrema e imutável é infantilidade e/ou ignorância.

O campo da fé deve ser pessoal, mas a religião e a ciência, nas diversas formas humanas devem se contentar com o temporal. Somos muito pequenos e finitos para sabermos muito, imaginem tudo...

O fundamento e o fundamental é amar, o fundamentalista ama.

Nenhum comentário:

Postar um comentário