sábado, 25 de agosto de 2012

POUCAS PALAVRAS


Não é preciso falar, nem fazer alguma coisa que comprove 
Sua pele, seus olhos, seus gestos dilatam um dileto amor
Existe presente na sua presença o maior presente do amor
O sorriso, o olhar de admiração e importantes coisas banais
E quando se zanga, transpira um desejo denso de não magoar
Então só me abrace e beije, não quero ter nada a mais, 
Está claro em minha mente que com você sou feliz