domingo, 22 de julho de 2012

A Árvore - Poema para Loide

A força imóvel à mercê do regar
Dependente de climas ou pessoas
As raízes rasas ou profundas
As folhas da primavera ao verão
Galhos nus ao outono, flores
Secos tons pastéis, folhas ao chão
Foi crescendo a sombra dos galhos
O machado, a serra, um fim
Um móvel imóvel de madeira nobre
Guardando passados originais

Nenhum comentário:

Postar um comentário