sábado, 31 de março de 2012

RECOMEÇAR




Bateu a porta me deixando sem mim
Foi embora levando meu sono
Saiu sorrindo o sorriso que era meu
Levou palavras que não tinha, não sabia
Palavras do meu livro do Ferreira Gullar
Mas tudo bem, tudo certo, vai passar
Passar como as nuvens do verão
Como as chuvas que arrasam
E eu, cidadão de certezas simples
Sei com sentimentos comuns
Que parecia, mas não era amor
Então não foi perda, nem ganho
Foi um dia que findou no anoitecer
E sólido e tranquilo, rodo na mão
Limpo, jogo fora móveis e mágoas
Restos inúteis da ilusão

Nenhum comentário:

Postar um comentário