sábado, 31 de março de 2012

INCONGRUÊNCIAS


A alma transpira calma sentimentos e ilusões
Respira sem aparelhos, violências e decepções
Grave, grava gravuras insólitas da dor geral
Espalhadas em faces desconhecidas e iguais
Caladas pela ausência do amparo público
Torturadas por desmazelos sólidos e banais
Iguais iguarias vencidas, promessas vencidas
Tortura das certezas derrotadas pela desilusão
E lá, no fundo do peito, no cerne da mente
Nada é verdade na mente e na alma
E tudo mente se o assunto é amor
Então, o desmembrado sentimento
Com membranas despedaçadas
Rompe derramado e derramando
Certezas de vida em derrotas de amor
Amores derrotados, mas glorificados
Justificando, explicando, aceitando
As mentiras dos sentimentos de dor

Nenhum comentário:

Postar um comentário