terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Ser mãe



Ela tinha certezas que só o amor podiam dar
Esperava pacientemente que nuvens sumissem
Que a água abaixasse absorvida pela terra úmida
Também através dos rios que ainda cheios

Mas era a prova do amor imenso
De lembranças do que foi vivido
E daquilo que está por vir a ser
De tudo o que virá a acontecer

Então a ternura, a paixão gentil
Aquele querer descomunal
Se traduzem em banhos e papinhas
Tantas e infindáveis coisas
Noites sem dormir, preocupações banais
E tudo por ser mãe e ser mulher.

Nenhum comentário:

Postar um comentário