terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

O encontro

Dias e noites a fio, a saudade que mata
A espera em forma de desespero
Transborda o coração de sentimentos dúbios
O medo se contrapondo ao desejo
E você longe de mim dentro do meu peito
E passam os dias em milhares, anos de dor
A saudade apertando e me prendendo a você
Você tão distante e o sentimento a meu lado
Toca o telefone e ouço a voz, o mesmo tom
O mesmo transbordar de sentimentos únicos
Sentimentos plurais, amor, desejo, paixão
E a voz invade e me fala de amor, lembranças
Não há como compreender, não há razão
É o amor chegando de repente, surpresa
Que ascende a alma e acende a paixão
E entre trocas de sofrimentos e saudades
Entre confissões de dor e paixão
Os corpos atônitos se tocam dizendo sim
Os olhos dizem sim e as bocas se calam
Sem poder dizer sim, se beijam
Se perdem em passeios,
Se encontram nos corpos
Suados e descansados no amor

Nenhum comentário:

Postar um comentário