sábado, 24 de setembro de 2011

CARTAS E FOTOS


Me sentei aqui e re-vivi coisas que já foram
E que provavelmente já deveriam ter ido
Deveriam ter me deixado em paz
Mas eu as guardei como quem guarda cartões
Em minhas gavetas cheias de memórias
Me obrigando a comprar móveis que não preciso

Então, sentado com caixas ao colo
Comecei a rasgar cartas do passado
Desfazer-me de imagens sem fotos
Palavras sem necessidade de papeis
Guardadas nas gavetas da memória
Com algumas coisas que jamais vivi

E aquele tanto que separei
Que entendi desnecessário
Levei para o pátio fora de mim
Sem entender o nexo de ter guardado
Tantas palavras, tantas imagens
Inerte queimei-as dentro de mim

Voltei à sala onde esta meu coração
E papéis que restavam no chão
Amarelados e sem datas
Tentavam em vão convencer-me
Das razões de estarem ali, e ali mesmo
Inerte queimei-os dentro de mim

Um comentário: