sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

TRAJETÓRIA

Vez por outra, vez em quando,  quase sempre
Tenho uma crise amnésica que me invade e seduz
Esqueço alegrias, tristezas, vitórias e derrotas
Não levo muito em conta laços sociais
Revejo gabaritos, reclassifico amigos e coisas assim

Vez em quando, quase sempre depois da dor
Uma  ou outra vez depois de sucessos
Vejo anotações de pessoas que me cercam
Transfiro alguns para o livro da gratidão
Porque de ingrato, nem Deuss gosta

Vou então me des-cobrindo em vida
Através de vidas que vivi aqui mesmo
Neste progressivamente velho corpo
Que tende ao aprendizado disfarçado
De alegrias, tristezas, vitórias e derrotas

E me vejo a caminho da velha estação
Sem ao certo saber quantas faltam
Tampouco em quantas delas vou saltar
E aprender e brincar coisas simples
Sonhar sonhos que um dia vão passar

Nenhum comentário:

Postar um comentário