sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Olhar para tras

Ela se movia na direção contrária do viver
Atorduada por exames, por idade
Por prognósticos cientificamente precisos
Como se fosse preciso diagnóstico
Que nos lembre que o final da estrada
Logo na primeira parada do caminho
A estação se chama morrer

E então ela olhou para tras
Na direção da vida, do nascer
E compreendeu que é mais
Bem mais que mágica o que existe
E enxergou por aquele segundo eterno
Que a vida é milagre, é dádiva
É dom de Deus

Nenhum comentário:

Postar um comentário