sábado, 29 de janeiro de 2011

O IMPREVISTO

Andrea olhava fixamente a maca à sua frente com um semblante injustificavelmente preocupado, nela, sua irmã mais nova aguardava a transferência até a sala de parto, local em que iria dar a luz ao seu segundo filho. Marta era uma mulher de saúde invejável, havia praticado esportes durante todos os seus poucos anos de vida, já que ela tinha apenas 25 anos.
Minutos mais tarde chegou Claudia, a irmã do meio, mulher falante, decidida, entrou na sala de espera colocando uma ordem desnecessária nas coisas, escalou Andrea para passar a primeira noite com a irmã, determinou que a mãe seria poupada deste esforço de ficar ao lado da filha no hospital, retirou da bolsa cinco Check List e foi distribuindo a quem de direito, fazendo sempre e repetidamente a dupla pergunta: "Compreenderam tudo direitinho? Alguma dúvida?"
Já com as contrações tornando-se cada vez mais frequentes, chegou Maria Clara, a mãe; mulher "descolada", interessada em criar um clima de tranquilidade, tratou de ir dizendo a Claudia: "minha filha, segura a onda um pouco e não vá começar a ditar suas regras aqui na maternidade tambem, mal sabendo que havia chegado um pouco tarde para impedir os rompantes de sua filha do meio.
Bem na hora de Marta ser levada para a sala de parto, Plínio chega dizendo: "Amor, está aqui aquela mantinha que você me pediu que troussesse, é esta? Marta responde positivamente com a cabeça e completa dizendo, Paulinho saiu com ela da maternidade, Sara tambem sairá."
Marta então é levada para a sala de parto e lá fica por alguns minutos; neste período que levou pouco mais de uma hora, os comentários variavam entre: "Está demorando muito, alguma coisa deve ter acontecido, vou lá perguntar", "Calma, este é o tempo que leva mesmo e Marta tem uma saúde de ferro", "Pessoal, a gestação foi super bem acompanhada e Sarinha está bem.", "Podem ficar tranquilos, Sara sairá igual ao pai quando pega um tubo, tranquilo e fazendo pose na prancha."
Nisto vem saindo do corredor Dr. Corvetto, com um semblante um pouco fechado, sinais de fracasso no olhar; Plinio antes que uma das três Marias falassem, se antecipa e diz: "Fala doctor, o que pegou na parada?" Corvetto llhe informa que desta vez ele falhou, Plínio retruca: E?, o médico bem sisudamente lhe diz, "o pintinho dele parece uma verruga, desta vez eu errei, é um menino.
Plínio dá um sorriso, coloca a mão no queixo e diz baixinho: "Deve ter puxado ao avô materno, ao pai é que não foi", dá uma gargalhada e diz rapidinho, me desculpem os religiosos, mas Abraão ele não vai se chamar, o nome dele está escolhido e é Carlos, Paulão e Carlão, nome de dupla de volei de praia.
Mais tarde, Marta vem chegando na maca e diz a Plínio: "Amor, ele vai se chamar Carlos, se ligou? Paulão e Carlão medalhas de ouro, não é lindo?", ao que ele responde: "Esta é minha gata, fechou".
Marta olha para Maria Clara e sorrindo diz, a senhora estava certa quando dizia: "Se puxar ao falecido vovô, não vai dar para saber". Todos caem na gargalhada e acabou a história.

Nenhum comentário:

Postar um comentário