segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Os dois

Aquela rua escura por onde passava Nicanor, era a mesma rua clara por onde passava Florisbela; ela, apressada, ia e vinha com compras nas mãos, olhos esbugalhados, semblante preocupado, cabeça pensando em bifes, saladas, roupas para passar, a cozinha e seus interminaveis afazeres; ele, tanto no ir quanto no vir, em seus passos serenos cumpria uma rotina que culminava naquilo que torna nossas manhãs mais agradáveis, o pão quentinho.
Florisbela e Nicanor se encontravam duas vezes ao dia; uma delas, bem cedinho, quando na contra mão da rua, então em penunbra matinal, ela ia ao trabalho e ele voltava dele; o outro encontro, ah! coisa excepcional, era quando a penumbra noturna chegava e os dois se encontravam em casa, para horas de amor, ele, depois de dormir e ela, antes de deitar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário