quarta-feira, 17 de março de 2010

Desamparos



A dor na cor vermelha
O sangue que escorria
O corpo estendido
A pele pálida e macerada
O olhar imóvel

As pessoas que olham
Suas versões diversas
Verdades e mentiras
Desconhecimento e delírios
Mas como todos nestes casos
Está passando só este momento impar

Foi só um tombo
Caiu da árvore
Levou um tiro
Foi aquela bicicleta
O homem morreu

Cercado de hipoteses
Centro de muita atenção
Nunca havia recebido tanta
Tanta em tão pouco tempo
Tanta de tantas pessoas

Mas tambem foi só,
Um a um foram saindo.
Cada qual com sua história,
Uns lamentavam, outros brincavam
Mas nem um, nem um sequer
Soube seu nome

Morreu ali, sozinho e sem nome.

Nenhum comentário:

Postar um comentário