quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Há de ser

Há de ser amor se for por prazer
Há de ser favor se houver pena
Há de ser com dor se for por dever

Os corpos se dão, se unem
E em seus reencontros constroem
Palácios,  casas no campo
Circos ou praças de guerra
Feitas de gestos, palavras
Diferenças, indiferenças
Complexos esquemas
Disfarçados de amor

Há de ser amor, se for bem querer
Há de ser amor se houver prazer
Há de ser amor se for por você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário